quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Do que você está desapegando?

Não lembro exatamente como descobri o Blog Vida Minimalista , mas ao ler o post sobre a listinha de desapegos da Camile, me peguei pensando neste exercício libertador que venho fazendo há um certo tempo e, principalmente, no quanto minha vida se tornou mais leve e menos sofrida em diversos aspectos.

E por esta razão, resolvi compartilhar minha listinhas de desapegos, no melhor estilo Lérigou!



PASSADO

 E o passado é uma roupa que não nos serve mais
Belchior

 Porque guardar roupa velha dentro da gaveta é como ocupar o coração com alguém que não lhe serve. Perda de espaço, tempo, paciência e sentimento. 
Caio Fernando Abreu


Não posso dizer que sou imune às dores e prazeres do passado, mas esta sensação de apego e valorização do que já passou consome uma energia bárbara na vida da gente, impedindo que nos dediquemos ao aqui e agora ou aos nossos anseios e desejos futuros. Então resolvi fazer um exercício mental (e sim, pessoales, esse exercício requer treino e não, não é sempre infalível) toda vez que o fantasma das last seasons bater à minha porta: respiro, relembro que, seja o que for, já passou e que eu tenho a absoluta liberdade de escolher como aquele fato ou pessoa vai influenciar a minha vida daqui por diante. E percebam que não estou aqui falando de perdão e de todas essas coisas politicamente (espiritualmente?) corretas. Minha fórmula pode parecer tosca ou pouco "elevada", mas resume-se a: perdôo aquilo que me é possível e retiro da minha vida o quê ou quem não estiver de acordo com meus valores. Simples assim. E evita muita incomodação...


PREGUIÇA
  
“A preguiça é um estado de coma profundo de uma mente vazia.”
Aucenir Gouveia


Quando eu falo que estou desapegando da preguiça é porque tive um avanço significativo neste sentido nos últimos tempos, mas acho que ainda posso melhorar muito. Como tudo na vida, a prática leva ao hábito, que leva à rotina. Então, hoje em dia eu não tenho preguiça de preparar minhas refeições de dieta (mesmo quando o namorido Chef quer fazer risotos, filés, hamburgueres,...), de ir na academia (quase) todos os dias, de fazer ao menos 45 minutos de exercício físicos, de estar sempre maquiada, cheirosa e de unhas impecáveis (as pessoas das minhas relações pessoais and profissionais merecem meu melhor), de manter contato com amigos e familiares, de estar presente nas ocasiões especiais destes amigos e familiares, de cuidar (e agradar) da minha casa, do meu amor e dos meus cães,... Quanto mais a gente faz, mais acha tempo de fazer outras coisas. É produtivo, é gratificante e deixa a auto estima lá nas alturas! Eu garanto!


NOVELAS

"Vou ver novela. Tá decidido. Uma preguiça em arrumar homem. Novela pelo menos avisa “é a última semana!”. Homem some no auge da primeira."
Tati Bernardi



Não sei se este é um desapego real ou se se deve às péssimas produções dos últimos tempos. Depois da Carminha e do Félix nada de muito interessante chamou minha atenção e olha que eu sou uma entusiasta do entretenimento televisivo. Essa do Comendador andam dizendo que é boa, mas não conquistou meu coração. Tendo tempinho livre pra assistir tv, não titubeio: séries e filmes. Só quero saber do Netflix quando minhas séries prediletas serão atualizadas?! Tô orfã de Homeland, Scandal e Pretty Little Liars e todos tem outras temporadas além das disponíveis no canal! E também torcendo muito para que cheguem logo as temporadas novas de Orange Is The New Black (Netflix) e Game Of Thrones (HBO)!


PESAR MENOS DE 60 KGS 

Essa foi difícil, gente. Minha infância e adolescência foram na época em que a magreza por si só (e não corpo sarado/malhado) era o ideal de beleza. Vestir 40 (o novo 38) ou ter mais de 60 kgs? Terminantemente proibido se você quisesse fazer parte do time das beldades. E é claro que sofri muito por não ter um corpo mignon (tenho 1,72 m) ou de modelete e por ter uma estrutura, coloquemos assim: bem brasileira. Olhando minhas fotos da adolescência hoje percebo que era magra e não sabia!

Claro que depois da adolescência, eu alternei entre magra e gordinha e, em 2010, por um problema de saúde (tumor no colo do femur esquerdo), fiquei muito, mas muito acima do peso, chegando a pesar 81 kgs!

Na foto acima, de 2001, tinha em torno de 60 kgs e na de 2013, entre 64 e 66 kgs (não lembro bem ao certo).
 
Hoje, com uma vida mais dedicada aos exercícios físicos e com um percentual de massa magra bem significativo em relação à 2001, conclui a duras penas que pesar menos de 60 kgs não é para mim. Aliás, cheguei a pesar 57 kgs naquela época e os comentários dos amigos eram de que eu estava feia, magra demais. E quer saber? Sou muito mais feliz hoje com essa consciência. Esse tal de buscar padrões inalcançáveis cansa, te coloca pra baixo, te sabota! E além de tudo faz mal à saúde!


DIETAS (OU ALIMENTOS) DA MODA


Até saiu na Veja há um tempo atrás, o "alimento do momento" dos últimos anos. É certo que com o boom fitness que vivemos hoje e com as facilidades de aquisição de produtos, somos impulsionados a provar as fórmulas que prometem menos quilos e mais saúde, no menor lapso de tempo. Confesso que até pouco tempo atrás me jogava em qualquer novidade que as saradas de plantão estivessem usando. Algumas coisas incorporei à minha rotina, tais como o uso de quinoa, chia e amaranto e outras tantas não me apeteceram, tipo o goji berry e as malditas algas (arghhh...) e eu até insisti, mas não rolou. Fiz dieta da proteína, dieta sem gluten e sem lactose e tentei até limitar minha alimentação aos orgânicos. Mas aí a gente vai percebendo que o que emagrece e te mantém magra é a reeducação alimentar a longo prazo aliada à atividade física. E essa reeducação não será excessivamente restritiva e deve se adequar ao teu estilo de vida. Não emagreci mais quando eliminei totalmente o gluten e a lactose da minha dieta (não sou intolerante a nenhum dos dois), emagreci mais quando comi de forma saudável, as quantidades necessárias para o bom funcionamento do meu corpo (e vale dizer que, quanto mais comida de verdade se come, menos gluten e lactose se ingere! #FicaDica). É bem verdade que não há regra e o que vai funcionar para mim não vai funcionar para o outro e vice versa, mas o equilíbrio e a persistência ainda são os melhores aliados para perda e manutenção de peso. Na real, todo mundo acredita nisso também, né? Ou, ao menos, acredita até que apareça uma nova dieta salvadora que prometa a perda de 10 kgs em meio segundo! :-P


DISCUTIR POLÍTICA E FUTEBOL

"O futebol é o ópio do povo e o narcotráfico da mídia."
Millôr Fernandes 


"Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo."
Eça de Queiroz


Taí... Dois assuntos que ocupam os sentimentos mais poderosos dos apaixonados de plantão. Pro bem e pro mal! Chega a ser clichê dizer as pessoas que levam seu clube do coração e suas convicções políticas às últimas consequências estão, literalmente, se perdendo. Falta compostura, educação, respeito e solidariedade e sobra ódio, preconceito, irracionalidade. Amizades se desfazem, laços se rompem, em favor do quê?
Antigamente eu bradava aos 4 cantos que nunca namoraria um gremista, como se o amor fosse lógico e todas as escolhas do mundo dependessem exclusivamente das minhas mimadas  e utópicas vontades. Arrogância e burrice da minha parte. Paguei a lingua e posso garantir que convivo maravilhosamente com meu amor e nossas diferenças clubísticas. Rola corneta? Mas é claaaaroooo que sim, porém corneta inteligente e respeitosa! Futebol até pode ser a coisa mais importante das coisas menos importantes, mas se comparadas com as mais importantes, importa muito pouco... Ou quase nada!

 A zuêra não tem limites para colorada que dorme
 durante uma derrota do Grêmio

E assim também com política. Assistimos nas últimas eleições manifestações dantescas de todos os lados. Pessoas inteligentes, cultas e ponderadas perdendo as estribeiras em redes sociais, como se isso fosse mudar alguma coisa. Aí na hora de votar, quantas abstenções tivemos? Quantos votos nulos e brancos? E quanta desinformação e sensacionalismo??? Não faço o estilo "em cima do muro" e revelei meu voto. A Beatriz taí pra comprovar! Mas para isso, não ofendi ninguém e não transformei meu Facebook em zona de guerra. Não fiquei nada feliz com resultado das eleições presidenciais, mas até que se prove em contrário, Dilma foi eleita de forma legítima. Cabe a nós, agora, fazermos nosso papel de cidadãos: fiscalizar mais de perto o Governo, nos informamos, cobrar de nossos deputados e senadores postura apresentada em campanha e, sobretudo, não sermos coniventes com corrupção e malandragem. E sim, tudo começa no nosso umbigo, na nossa casa, na nossa família, no nosso bairro. Fazer mais e discutir menos. Grande desapego de 2014!


Feita a listinha do que estou desapegando, agora vamos àquilo que eu quero desapegar, mas, AINDA, não consigo:

- Ficar pendurada no telefone (amo redes sociais)
- Estresse no trânsito (sou muito raivosinha no trânsito e PRECISO melhorar isso e ser mais zem)
- Bancar a  Felícia com Beatriz (não sei se quero, de fato, desapegar disso porque amo sovar a cachorrinha, mas ela não ama muito esse "amassamento" todo não...)
- De me importar com opinião dos outros (Tô quase lá, mas ainda fico muito mal quando aparece um hater ou quando recebo uma crítica maldosa ou injusta)
- Coca Zero - Estou há 2 semanas sem beber um gole do meu maior vício, mas ainda não considero que estou desapegada porque penso nela durante o dia e sonho com ela durante a noite
- De me envolver demais nos problemas dos outros

Post giga, né gente?

Agora eu quero saber do que v ocês estão desapegando e do que querem desapegar! Deixem uma interação felpuda aí embaixo que vou amar!

Lots of Love, Z.

2 comentários:

Leninha Ramos disse...

Amei! Super me identifiquei .
Há um ano comecei o desapego com várias coisas que só pesavam a minha vida... Troquei de marido ( quem diria, como tu, dizia q jamais namoraria um gremista, hoje to aqui, casada com um Lindo gremista e vivemos numa boa , um flauteando o outro sempre que a ocasião pede ) hahahaha
Quanto a novela , quem diria, desapeguei total, vivo de Netflix e filmes baixados no app do telecine play ( baixo pra assistir no carro ou enquanto espero algum cliente nos eventos da minha empresa ) hahahaha
Desapeguei de querer ter razão sempre, ser menos orgulhosa... Tudo melhorou.
Sei lá , mudei muito em um ano , espero quem em 2015 eu continue assim, é muito libertador.
Parabéns pelas tuas conquistas!
Beijos
Leninha Ramos

Dani Rizzi barufaldi disse...

Vou me insistiram em ti amiga! Adorei!