terça-feira, 25 de setembro de 2012

Dialogando o fim: Episódio Piloto: Contando ninguém acredita...

INDEXAÇÃO: Conheceram-se. Apaixonaram-se. Moravam em lugares distantes. Ambos, iniciando uma nova vida profissional. 2007. Caos Aéreo.




Toca o telefone. É ele. Atende no segundo toque...

Ele: Tá ocupada?
Ela: Não, não...
Ele: O que vc tem? Pq tá estranha assim?
Ela: Estou triste... Contigo...
Ele: Ainda bem que desta vez, vc foi direta... Eu te magoei?
Ela: Sim... Lembra da nossa conversa semana passada? Em que te falei como me sentia e perguntei o que tu sentias?
Ele: Sim, dissemos que continuaríamos a nos falar, que essas coisas não se resolviam assim...
Ela: Exato... E não nos falamos mais, né?
Ele: Não... Sobre isso, não... Não entendo porque ficar triste comigo... Achar que te magoei... Faz eu me sentir mal, sem eu ter culpa de nada... Fica toda estranha... Tratando mal...
Ela: Eiiii... Não estou te tratando mal!
Ele: Saiba que isso é tratar mal sim...
Ela: Estou, apenas, tentando demonstrar que tem alguma coisa errada... Na boa, sem brigas...
Ele: Agora até pode ser, mas vc mudou de atitude sem falar... Não respondeu meus recados, não me deu retorno...
Ela: Eu estava precisando de um tempo pra cabeça, para não enfiar os pés pelas mãos... Mas estou aqui, agora, conversando...
Ele: Continua...
Ela: Tu realmente não sabe pq estou triste contigo?
Ele: Não... Quer dizer... Posso até saber, mas quero escutar de vc...
Ela: Tu partiu meu coração...
Ele: Vc acredita em um relacionamento a esta distância?
Ela: Quero acreditar, mas não vejo perspectivas... Senti que o último adeus foi definitivo...A vida não tem graça quando não estás junto...
Ele: Eu sei... Mas não acredito em um relacionamento a esta distância... E não digo isso, apenas porque está no meu "Manual de Vida", mas porque senti muito a sua falta... Sempre louco para ir, sem ter como e, mesmo assim, indo... Passando cartão de um para passagem de ida e de outro para passagem de volta... A doidera de querer estar junto e aquele monte de coisas que vêm atrás... A gente fica com uma pessoa, sem imaginar que pode virar o que virou... E estas coisas são raras... E eu sei que eu sofro... Então prefiro dar um "cut wave" no meu sentimento do que sofrer sempre... Por exemplo, passo na frente do hotel que vc ficou, na padoca das 10h e já dá saudade...
Ela: Já quebrei minha cabeça para achar uma solução. Acho que eu ir praí neste final de semana só vai agravar a situação...
Ele: Quase não fui da última vez... Mas não me aguentei. Do jeito que eu gosto de vc, a parte ruim só iria se agravar... Só não se agravaria se não tivesse tanto sentimento envolvido...
Ela: Mas eu não consigo ser metade... É tudo ou nada... Não dá pra continuar como está...
Ele: Nunca encontrei ninguém igual... Eu pedi para vc ser ruim comigo, lembra? E era sério...
Ela: Seria mais fácil se tivéssemos sido ruins um com o outro...
Ele: Vem morar aqui... Ou eu aí...
Ela: Tu sabes que acabei de abrir um escritório...
Ele: Ou ter um jatinho e ser milionário...

Risos dois dois lados, que antecede o primeiro silêncio...

Ele: Difícil quando silenciamos... Tenho a sensação que se prolongassemos a conversa, nosso amor também perduraria...
Ela: Muito difícil...
Ele: Não te chamar mais de amorrrrrr, de lindaaaaaaaa, mandar beijossss pra vc... Sem nossas metáforas...

A multiplicação das últimas letras representava a intensidade do sentimento...

Ela: Não fica triste... Ou passa esta tristeza para mim... Morro só de pensar em te ver assim...
Ele: Vc consegue não ficar?
Ela: Desliga primeiro?
Ele: Não consigo! Desliga vc!
Ela: Não tenho coragem! Desligaaaa!
Ele: Como pode ser tão difícil... É só apertar um botãozinho...

E ouviu-se dos dois lados da linha o som do "tum tum tum tum", ao mesmo tempo...

Como diria Ary Santos: Partir é sempre morrer um pouco...

Cada um morreu um pouquinho naquele instante...

Porém, este fim significou um novo (e belo) começo em suas vidas...

(Mas isso é conteúdo para outro texto!!!)

FIM (Final feliz porque são boazinha. Quase "assassinei" o mocinho da história, por incentivo da Louise... hehehe)

P.S. E o Carpinejar postou ontem (achei adequado!):

Gafe é fingir que nada aconteceu. 
Tragédia é romper uma história como se fosse apenas mais um emprego.
Loucura é seguir adiante, sem um mínimo de nostalgia, sem o receio de estar vivendo errado. 


P.S. 2: Obrigada à Louise Heine pela ilustração e à contribuição de uma frase do Eduardo Meira que parece ter encontrado um "novo começo" brilhante em sua vida!

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Adelaide do Dia: Rainha do meu lar e do meu coração




Na última visita que Adelaide me fez, ela deixou bem claro quem é a Rainha do meu lar! Mal sabe ela, que também é a rainha do meu coração. Tem como ser mais linda? Pó abusar!

domingo, 16 de setembro de 2012

Fox Tips: Filminhos em DVD/Blue Ray

Sempre digo que luxo, para mim, é ter tempo de ficar em casa, preferencialmente na companhia daqueles que amo, descansando, vendo um filminho, cozinhando e tomando um bom vinho. Tem coisa melhor?

Abaixo alguns filmes que vi recentemente, que ficam de diquinhas para aquele finde de preguiça:




- Qualquer Gato Vira-Lata: Com Cleo Pires (magérrima) e os colírios Dudu Azevedo e Malvino Salvador. O filme conta as agruras de Tati, garota inteligente, bonita, estudiosa e trabalhadora que toma aquele all star no derrieré do namorado Marcelo, um playboy mimado e galinha. Após ouvir sobre uma inusitada teoria sobre relacionamentos do professor de biologia Conrado, Tati pede sua ajuda para reconquistar Marcelo. Leve, divertido e clichê, assim como toda comédia romântica.



- Uma Doce Mentira (De vrais mensonges): Fiquei com uma super expectativa em razão de ser estrelado pela musa Audrey Tatou, mas confesso que me decepcionei. Maddy (Nathalie Baye), está deprimida em razão de ter sido abandonada pelo marido por uma mulher mais jovem. Para tentar anima-la, a filha Emilie (Tatou), decide fazer uso de uma carta de amor anônima que recebeu, escrita secretamente por seu funcionário Jean (Sami Bouajila). Não precisa dizer a confusão que a ideia da egoísta Emilie desencandeia, né?



- A Casa dos Sonhos (Dream House): Suspense de ação. Will Atenton (Daniel Craig) fica cara acara com o passado para desvendar a tragédia ocorrida com a família Ward na casa em que mora. O filme conta com as atuações de Rachel Weisz e Naomi Watts. Adorei!




- Professora sem classe (Bad Teacher): O sonho da politicamente incorreta professora Elizabeth (Camerons Diaz) é achar um marido que a sustente. Enquanto isso não acontece, volta a lecionar em uma escola primária e uma série de confusões se sucedem. Comediazinha meia boca, mas que rende algumas risadas. Com Justin Timberlake.




- Passageiros (Passengers): Suspense protagonizado por Anne Hathaway e Patrick Wilson. Depois de um desastre de avião, a terapeuta Claire Summers convocada para dar suporte aos sobreviventes. A medida que os acontecimentos vêm à tona e os sobreviventes sumindo, Claire faz uma grande descoberta.

Esmalte da Semana: Gogo Girl - Sinful Colours



Vermelho lindo que ganhei da amiga Kuky, diretamente de NYC! O esmalte, apesar de fino, tem boa cobertura, o que é uma felicidade, já que esmalte seca rapidinho. Tem brilho e boa durabilidade. Gostei bastante da marca! E o nome do esmalte? Amei demais!

sábado, 15 de setembro de 2012

Flashes Aniversário Lauro Brasil e Guilherme Maia no Rosario Resto Lounge


 Rosario Resto Lounge


 Os aniversariante: Lauro + Maia


 Lauro + Fê


Lauro + Z.


Marcelinho + Ricardinho + Felipe


Jaci + Diogo


Lauro entre amigos

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Das coerentes incoerências do amor


Era uma vez, há muitos e muitos anos atrás (ok, ok, nem tantos assim, mas me enganem que eu gostchooooo muitchoooo!), o Reino Encantado do Orkut, em que os os usuários tinham a opção de preencher em seus perfis (ou "profile" para os mais adeptos)  sobre o seu "par perfeito".

Influenciada pela onda de "O Segredo", lembro de ter especificado os pormenores do meu par perfeito: ele deveria ser moreno, alto, bonito, elegante, atlético (que praticasse esportes regularmente) bem educado, refinado, trabalhador, bem sucedido, pós graduado, culto, inteligente, poliglota, carinhoso, romântico, gentil, de boa família. Acima de tudo, deveria ser colorado e, de quebra, se não fosse pedir muito, seria bacana se o pretendente também pudesse ser do tipo que canta Jorge Vercilo e cita Oscar Wilde.

Repelia a mais remota possibilidade de me relacionar com alguém que torcesse pro Grêmio, que mastigasse gelo ou o halls, que escrevesse ou falasse errado, que não soubesse falar inglês,  que fosse mais baixinho do que eu ou que não estivesse em vias de terminar um mestrado e começar um doutorado ou que fosse sedentário.

Quando disso me recordo, inevitável que surja um sorrisinho irônico nos meus lábios, no momento em que percebo o paradoxo. Ainda que, friamente analisando, eu continue achando que todas aquelas características lá são qualidades que prezo em um homem que gostaria de ter ao meu lado,  a experiência me mostrou quão bobos, ilusórios, idiotas e, até, prepotentes eram meus ideais de "amor".

Eis que, meus amigos, amor e química não se explicam. O desejo que vem do cheiro, do toque, do olhar, da atração, do encaixe e da admiração inexplicável não cabe em nenhuma referência prévia que se possa pretender imaginar, porque ela simplesmente se sente, no exato instante em que acontece. 

E, DIABOS!, como é difícil desta magia ocorrer...

A verdade é que, quando esta raridade maravilhosa chamada amor acontece, precisamos estar atentos para não deixá-lo escapar. Adicione aí uma porção generosa de respeito, disposição, parceria e bom humor. Não precisa nem mexer. Sirva-se e delicie-se!

E vai pouco importar se ele é alguns centimetros mais baixinho do que tu, se fala um inglês à moda do Joel Santana, se tem os dentinhos um pouco separados, se usa alpargatas de caveirinhas, se torce pro Corinthians, se está um pouco (ou muito) acima do peso ou se estoura, com barulho, a bola de chiclete. Cê vai achar tudo lindo!

O Amor é lindo e tão incoerente que desmantela, suave e sorrateiramente, sem que nos demos conta, todas as nossas convicções.
 
Basta permitir-se levar...

(E será um favor não citar Jorge Vercilo enquanto canta Oscar Wilde)


sábado, 1 de setembro de 2012

Esmalte da Semana: Chili da Revlon


Vermelhão aberto, alegre e vibrante para um Final de Semana repleto de felicidade. Essa linha Top Speed da Revlon seca rapidão mesmo. Adorei a experiência.