segunda-feira, 5 de julho de 2010

Dica de livro: O Castelo de Vidro by Jeannette Walls

"Courtesy of Indiana University."


Durante a recuperação da minha cirurgia, solicitei a todos meus amigos e amigas que me trouxessem livros, porque o tempo de ócio era tamanho que todos os livros da casa (que não são poucos) já estavam relidos. Uma das boas surpresas que tive até agora foi a autobiografia da jornalista norte americana, Jeannette Walls chamada O Castelo de Vidro. Jeannete narra de forma lúcida e nada piegas a saga de sua singular família. O Marcelo Lopes do Blog Universo Tangente fez um resumo perfeito acerca do livro e tomei a liberdade roubar de lá, especialmente para nossos leitores e leitoras felpudas:



"Não fixavam residência por muito tempo em uma cidade (geralmente, alguma pequena e miserável localidade no interior do país), compravam carros que sempre os deixavam na mão e, com uma frequência desconcertante, passavam fome, quando os bicos e pequenos golpes do pai não lhe rendiam muito dinheiro. As crianças aprenderam logo a se virar de todas as formas possíveis, o que as tornou ainda mais unidas que a maioria dos irmãos, especialmente Jeannette e Brian. Depois de muitas aventuras (como gostava de dizer o pai), estabeleceram-se em Welch, uma cidadezinha de mineradores que parecia viver em um estado de constante decadência, onde Rex nascera. Logo apreensão do pai em voltar para Welch seria justificada: a cidade exerceu uma atração doentia nele, que fincou as raízes na casinha mais pobre possível, a beira de um abismo. Concluídos os estudos, os irmãos logo partiriam para Nova York – onde Lori acreditava que uma pessoa diferente como ela poderia apenas ser mais um, Jeannette poderia seguir seus estudos e tornar-se jornalista e Brian seguir sua vida. O que os três (Maureen toma outro rumo) não poderiam imaginar é que, anos depois, seus pais se mudariam para lá e escolheriam viver como sem-teto.

Jeannette conta tudo isso em episódios relativamente curtos, com detalhes vívidos. Desde o início, fica patente sua admiração pelo pai, seu intelecto privilegiado e charme, e não esconde o fato de ter sido sempre sua favorita. Sua narrativa oscila de certa inocência nos primeiros capítulos (e seu vocabulário usado acompanha isso, de forma bastante sutil, sem afetação) ao sarcasmo amoroso com que ela e seus pais passam a se tratar no fim da história, já em Nova York, tendo ambos de lidar com as diferenças de valores que encarnam. O título, não muito bom, refere-se ao projeto jamais concluído de Rex Walls, uma admirável casa de vidro para a família que seria descrita, neste início de século XXI, como auto-sustentável. Aliás, o fracasso material é uma constante na história dos Walls; todo o tempo, eles parecem fazer alguma conquista palpável somente para vê-la desmoronar depois – como o Natal, cuidadosamente planejado e arranjado."

O livro pode ser adquirido no site das Americanas, por R$ 31,90. No Submarino, tá um pouco mais baratinho: R$ 27,90. Boa leitura!

Nenhum comentário: