segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

NOVAS REGRAS DA LÍNGUA PORTUGUESA

Como é sabido, a ortografia da língua portuguesa foi alterada em decorrência de um acordo firmado entre os países lusófonos, membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), visando à unificação da grafia da língua portuguesa. As mudanças ortográficas, que vêm sendo implementadas desde o ano passado, passaram a viger a partir deste ano, em que pese o prazo para a adaptação definitiva expire somente em 2012.
.
Devido à importância das mudanças, o RL&F fez um apanhado das alterações! Seguem as novas regras a serem seguidas no Brasil:
.
AMPLIAÇÃO DO ALFABETO
O alfabeto ganha três novas letras, passando a um total de 26, em razão da incorporação do “K”, “W” e “Y”.
.
TREMA
Desaparece em todas as palavras. Deixa de existir, a não ser em nomes próprios e seus derivados. Antes: tranqüilo, lingüiça, agüentar. Agora: tranquilo, linguiça, aguentar.
.
ACENTO DIFERENCIAL
Desaparecem os acentos diferenciais. Ou seja, não se usará mais acento para diferenciar palavras como pára (flexão do verbo parar) e para (preposição); pélo (flexão do verbo pelar), pêlo (substantivo) e pelo (combinação da preposição com o artigo).
Importante! Não some o acento diferencial dos verbos pôr, ter e vir, junto com seus derivados (manter, deter, convir, entre outros). Continuam: vou pôr o lápis na mesa; elas têm duas bonecas e eles detêm o poder. No caso da diferenciação entre fôrma (utensílio doméstico) e forma (aparência de uma coisa), a escolha é facultativa. Mantém-se, ainda, a distinção entre pode e pôde.
.
ACENTO CIRCUNFLEXO
Some o acento circunflexo de palavras terminadas em “ÊEM” e “ÔO”. Antes: crêem, vêem, vôo. Agora: creem, veem e voo.
.
ACENTO AGÚDO
Não se usará mais o acento agúdo nos seguintes casos: A) nos ditongos abertos "EI" e "OI" de palavras paroxítonas. Agora será assembleia, ideia, apoia, Coreia. Observe que as palavras oxítonas continuam acentuadas, como heróis e troféu; B) nas palavras paroxítonas, com "I" e "U" tônicos, quando precedidos de ditongo. Agora será feiura e baiuca; C) nas formas verbais que tem o acento tônico na raiz, com "U" tônico precedido de "G" ou "Q" e seguido de "E" ou "I". Antes: averigúe (averiguar), apazigúe (apaziguar), argúem (arguir). Agora: averigue, apazigue, arguem.
.
HÍFEN
A mais complicada das mudanças é com relação à utilização do hífen.
- Nos prefixos agro, ante, anti, aqrui, auto, contra, extra, infra, intra, macro, mega, micro, maxi, mini, semi, sobre, supra, tele, ultra e outros, utiliza-se hífen apenas quando a palavra seguinte começar com “H” ou com vogal idêntica à última letra do prefixo. Portanto: auto-hipnose, micro-ondas, anti-imperialista, tele-entrega, autoanálise, antisocial.
- Nos prefixos hiper, inter e super, usa-se o hífen quando a palavra seguinte começar com “H” ou “R”. Assim: super-homem, inter-regional, hiperinflação, supersônico.
- O prefixo sub leva hífen quando a palavra que o seguir iniciar com “B”, “H” ou “R”. Assim: sub-base, sub-humano, subsecretário.
- Nos prefixos pan e circum, segue o hífen quando a palavra seguinte começar com “H”, “M”, “N” ou vogais. Agora: pan-americano, cicum-hospitalar, pansexual.
- O prefixo vice sempre é seguido de hífen. Portanto: vice-rei, vice-presidente, vice-diretor.
Importante: Quando o hífen coincidir com o final da linha, repita-o na linha seguinte.

.
A Academia Brasileira de Letras publicará o vocabulário ortográfico em fevereiro próximo, obra que fixará definitivamente todas essas mudanças. De qualquer sorte, até 2012, serão aceitas as duas normas em vestibulares, provas e concursos públicos. Em diário oficial e jornais, assim como nas demais áreas, janeiro de 2009 foi o marco para o início da unificação ortográfica.
.
.

3 comentários:

Dr. Pascoal disse...

Muito boa a matéria.

Abraço.

Z. disse...

ERstava lendo o Blog Bonitona Encalhada ontem e a autorsa, Laura, ponderava, exatamente, sobre as mudanças e a dificuldade de se "jogar fora" tudo que aprendemos até hoje. Pessoalmente, eu não simpatizeiu em nada com as mudanças e sou descrente ao fato de a língua portuguesa se unificará de fato. Todavia, as mudanças estão aí... Foram aprovadas e a mim não custa discutir mais, mas, tão somente, aprender e aplicar as novas regras... Sairei da minha zona de conforto para incorporar o novo.

J disse...

Confesso que fiquei pasma com a aprovação da unificação da língua portuguesa, pois todos os profissionais da área que ouvi falarem sobre o tema afirmaram que apostavam que as mudanças não seriam aceitas! Sorte que não apostaram de fato, senão teriam saído perdendo...

A questão é que o Português é um dos idiomas mais falados no mundo e não havia uma uniformidade na grafia. Eu, particularmente, torcia contra a unificação, pois será complicada a adaptação. Além de eu lamentar ter perdido tantos anos de estudo... Mas, não raras vezes, inovar é preciso!

Certamente a adaptação não ocorrerá da noite para o dia, até mesmo porque os programas de autocorreção* dos computadores tratam de adequar tremas e afins, causando uma dificuldade ainda maior no aprendizado e na escrita correta. Mas, com o tempo, quando menos esperarmos, estaremos utilizando, sem ter que pensar, as novas regras.

Vamos apenas agradecer que o nosso "brasileiro" ainda foi a versão com menos alterações na grafia e vamos torcer para que logo logo o nosso amado Word atualize suas ferramentas hehehe.

J.